Bambolas Benoj, fofas, originais, exclusivas

 


Bambolas da Benoj, as bonequinhas mais fofas e originais que você já viu.
Produzidas artesanalmente com muito capricho e carinho. Para você presentear, colecionar, decorar.

Tamanho aproximado : 19 cm

Embalagem: Caixa de acetato transparente ou caixa decorada de papelão ondulado.

Modelos: Signos, Mensageiras, Orientais, Africanas, Formatura, Festa, Personalizadas, Família, Times, Profissões , Divertidas e Princesas.


Aproveite! Qualquer Bambola R$25,00 por R $20,00 ( exceto as personalizadas que custam a partir de R $25,00- acréscimos de acordo com os itens e acessórios)




Nas Bambolas Personalizadas da Benoj, os clientes podem escolher cor dos cabelos, da roupa, o penteado. Com isso cada boneca é única. ”Quando terminamos vemos que cada uma tem sua personalidade. São como filhos...”






Encomende a sua Bambola, você vai se apaixonar por elas!


Contato:

Facebook: https://www.facebook.com/benojartearomas
Instagram : https://www.instagram.com/benojartearomas/



























Atendimentos sem urgência serão suspensos no Hospital das Clínicas, em Itajubá

 



A partir de segunda-feira, atendimentos serão realocados para policlínicas da cidade; motivo é remanejamento de profissionais e ampliação de leitos.

A partir da próxima segunda-feira (14), os atendimentos sem urgência estarão suspensos no pronto-socorro do Hospital de Clínicas de Itajubá (MG).

Segundo comunicado conjunto divulgado pelo hospital e pela prefeitura, um plantão de atendimento médico será feito nas policlínicas dos bairros São Vicente (mercado) e Varginha.

O motivo é a necessidade de realocação dos profissionais de saúde do pronto-socorro para a unidade especializada em Síndromes Respiratórias Agudas e Covid-19 do hospital, que está sendo ampliada com novos leitos.

Na semana passada, durante visita a Itajubá, o governador Romeu Zema (Novo) anunciou a abertura de mais 18 leitos de UTI na cidade.

Confira como ficarão os horários do plantão de atendimento médico para casos sem urgência a partir de segunda-feira:


Policlínica do Mercado

7h às 22h (segunda a sexta-feira)
8h às 22h (sábados, domingos e feriados)

Policlínica da Varginha

7h às 22h (segunda a sexta-feira)

A prefeitura informou que não será necessária a marcação de atendimento e poderão ser atendidos pacientes de todos os bairros de Itajubá.

Fonte: G1 Sul de Minas

Decreto prorroga estado de emergência e fecha shopping neste domingo em Varginha

 



A justificativa é a grande circulação de pessoas de outras cidades na cidade, que é um polo regional comercial.

A Prefeitura de Varginha publicou novo decreto nesta sexta-feira (12) que prorroga por mais 90 dias o estado de emergência de saúde pública no município. No mesmo decreto, a prefeitura decidiu manter o shopping da cidade fechado neste domingo (13).

A justificativa é a grande circulação de pessoas de outras cidades na cidade, por Varginha ser um polo regional comercial.

Segundo o decreto, só poderá funcionar no shopping no domingo lojas que tenham como atividade principal a venda de produtos essenciais como alimentos ou produtos de higiene pessoal. As demais deverão ficar fechadas.

Conforme a administração do shopping, as outras lojas atenderão por delivery, assim como os estabelecimentos da praça de alimentação. Restaurantes poderão funcionar seguindo as medidas sanitárias. O supermercado vai funcionar normalmente seguindo as regras vigentes.

Fonte: G1 Sul de Minas

Devolução do auxílio emergencial supera R$ 900 milhões no IR 2021

 


Foram 311.931 pagamentos DARF de contribuintes que receberam o benefício, mas tiveram rendimentos acima de R$ 22.847,76.

A Receita Federal recebeu até agora 311.931 pagamentos DARF que devolveram R$ 903.081.265,93 de auxílio emergencial. Neste ano, foi obrigatória na declaração do IR 2021 a devolução do benefício pago a contribuintes que tiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 22.847,76.

A expectativa é que 3 milhões de pessoas que receberam o auxílio no ano passado tenham que devolver o benefício através da declaração do imposto de renda, cujo prazo de entrega terminou em 31 de maio. Contribuintes já estão sendo comunicados sobre pendências, como o auxílio emergencial não declarado, para que seja feita a retificação.

Até agora 1.688.157 contribuintes caíram na malha fina. Um aumento de 66% em relação ao ano passado, quando 1.015.918 contribuintes tiveram a declaração retida. Este ano, o total de declarações recebidas somou 34.168.166, crescimento de 6,8% em relação a 2020, quando 31.980.146 declarações haviam sido enviadas dentro do prazo.

 

Pagamento indevido

Segundo rfelatório do TCU (Tribunal de Contas da União), R$ 54,7 bilhões foram pagos indevidamente no auxílio emergencial desde o ano passado. Beneficiários sacaram o auxílio, mas não estavam dentro dos critérios de elegibilidade. São, por exemplo, servidores públicos (civis e militares) ou beneficiários da Previdência Social.

 

Fraude 

A Receita também divulgou orientações para quem foi vítima de fraude do auxílio, mas teveo pagamento identificado na declaração do Imposto de Renda. Essas pessoas deverão fazer uma contestação por meio do site do Ministério da Cidadania.

Na página do Auxílio Emergencial (www.gov.br/auxilio), além das orientações para estes casos, também é apresentada uma opção de elaboração de reclamação online, para que o cidadão registre o fato, para que as apurações sejam realizadas. O serviço também está disponível pelo telefone 121.

A partir do registro da reclamação e verificações preliminares, o Ministério da Cidadania comunica eletronicamente à Receita Federal do possível não recebimento do auxílio emergencial pelo próprio cidadão.

Segundo a Receita, com esse processo, o pagamento da devolução do auxílio deixa de ser emitido pela Declaração de Ajuste Anual do IRPF (DIRPF). Além disso, a declaração pelo contribuinte do recebimento do benefício como rendimento tributável deixa de ser exigida nos controles pós-entrega (malha fiscal e fiscalizações) da Receita Federal.

Fonte: R7


Romeu Zema é cotado para ser pré-candidato do Partido Novo à Presidência

 


Essa possibilidade já havia sido pensada antes do desgaste causado pela intenção de indicar o deputado Tiago Mitraud

Único governador eleito pelo Partido Novo, o nome de Romeu Zema não é descartado como possível indicado para disputar a vaga de candidato à Presidência da República. Segundo o presidente do Novo em Minas Gerais, Ronnye Antunes, essa possibilidade já havia sido pensada antes do desgaste causado pela intenção de indicar o deputado federal por Minas Thiago Mitraud.

“Outros diretórios estaduais já haviam sugerido o início da coleta de assinaturas para Romeu Zema, mas com a disputa Amoedo e Mitraud ficaram desmotivados. Pode ser que reiniciem a coleta de assinaturas, mas acredito que o governador não aceitaria”, disse. Ainda segundo Antunes, o diretório mineiro é favorável à candidatura de Zema à reeleição em Minas “para que os projetos de governo no estado sejam concluídos”.

Na avaliação do presidente do Novo em São Paulo, Alfredo Fuentes, a sigla tem que avaliar outras possibilidades. “O partido agora tem que fazer suas discussões internas e verificar se faz sentido termos um novo nome para candidatura ou se faz sentido não apresentarmos candidato e ficarmos só no âmbito estadual, no caso governador, senador, deputados estaduais e federais”. Mas, ele também não descarta que Zema seja sondado. “O Zema é um nome respeitado no partido como um todo. Acho que sempre o nome dele é lembrado. Mas, eu não posso dizer se haverá esse movimento e esse convite”. 

Procurada, a assessoria de Romeu Zema não respondeu, mas ele já anunciou em outras ocasiões sua intenção de disputar a reeleição em Minas, inclusive, em coligação com outros partidos.

 

Novo convite

Outra possibilidade, segundo o presidente do diretório de Santa Catarina, Vinícius Loss, que coordenou o processo de coleta de assinaturas para o convite à Mitraud, é que o deputado federal ou o próprio Amoêdo sejam novamente convidados até o final do processo, cujo prazo termina em 1º de outubro deste ano. “Os mesmos nomes podem ser apresentados mais adiante. Isso é um reflexo de uma instituição que "não tem donos" e que incentiva a participação de mais pessoas na política”, avalia.

Amoêdo não descarta a possibilidade, mas disse que prefere não pensar nisso agora. “Agora é difícil pensar sobre isso. Eu acho que é melhor o partido ter essa liberdade e eu também. Aí tem que analisar o momento que for, qual é o cenário e eu não tenho pensado muito sobre isso”, disse.

Fonte: O TEMPO

Carreta tomba na rodovia Fernão Dias na manhã deste sábado

 


O acidente deixou uma pista sentido Norte interditada.

Um acidente envolvendo uma carreta, por volta 10h15 deste sábado, na rodovia Fernão Dias, deixou parte da pista interditada. O acidente aconteceu no km 724,8 da BR-381, no município de Carmo da Cachoeira.

A carreta tombou e interditou a faixa da direita no sentido Belo Horizonte. Segundo a concessionária Arteris, que administra os 570 quilômetros que separam as capitais de Minas Gerais e São Paulo, o trânsito flui com lentidão na pista da esquerda.

A concessionária Arteris Autopista Fernão Dias alerta os motoristas que transitam no trecho que fiquem atentos ao aproximar do local do acidente. Neste moment6o [11h], equipes da concessionária atuam no atendimento para a liberação total da via, o que deve ocorrer no início da tarde de hoje.

A concessionária Arteris Autopista Fernão Dias não informou a origem do veículo, se a carreta estava carregada ou vazia, também não deu informações se no acidente teve vítimas. 

Recorde: Sul de Minas registra mais de 17 mil casos de COVID-19 na semana

 


Sul de Minas só fica atrás da Região Central, onde fica Belo Horizonte, em número de registros da doença neste período.

O Sul de Minas registrou nesta semana mais de 17 mil casos de COVID-19 e 317 pessoas morreram por conta da doença na região.

Estes números representam novo recorde e foram divulgados no Painel de Monitoramento da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e podem divergir dos números oficiais das secretarias municipais..

Na última semana, foram 9.016 casos com 136 mortes – o número há duas semanas foi de 11.833 ocorrências da doença e 233 óbitos.

Com o feriado de Corpus Christi, que ocorreu no dia 3/6, os números da quinta-feira foram inseridos na contagem desta semana.

Mesmo assim, caso os dados tivessem sido registrados, a região teria apresentado recorde da mesma maneira, com 14.783 casos confirmados. Ao todo, foram divulgados pela SES 17.784 casos.

Em comparação com os dados de outras regiões do estado de Minas Gerais, o Sul de Minas se manteve à frente da maioria, perdendo apenas para a Região Central, onde fica a capital Belo Horizonte, que confirmou 18.189 casos.

O Triângulo Mineiro confirmou 9.874 casos; a Zona da Mata e o Vale do Rio Doce, juntos, confirmaram 3.256; o Centro-Oeste, 2.674; já o Vale do Jequitinhonha/Mucuri registrou 1.076 casos.

No Alto Paranaíba e Região Noroeste de Minas foram, ao todo, 8.198 confirmações da COVID-19. No Norte do estado foram 3.668 casos da doença.

 

Sul de Minas

As cidades que mais registraram casos no Sul de Minas foram Pouso Alegre, com 1.081 ocorrências do novo coronavírus, e Varginha, com 1.011.

Poços de Caldas confirmou 25 óbitos e logo atrás, Passos documentou 24 vidas perdidas para a COVID-19.

Nesta sexta-feira, a região registrou 2.434 casos e mais 62 mortes. Há quatro dias o Sul de Minas tem atingido mais de 2 mil casos por dia e na quarta-feira registrou seu maior número desde o começo da pandemia: 3.081 pessoas infectadas.

A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 92,31%. Já a dos direcionados exclusivamente para o tratamento da COVID-19 chega a 93,05%.

De acordo com a SES-MG, o Sul de Minas já confirmou 226.960 casos e 5.331 mortes – 201.826 pacientes estão recuperados e, no momento, 19.803 pessoas são acompanhadas com suspeita ou confirmação em decorrência do Sars-CoV-2.

COVID-19: São Tomé das Letras proíbe turismo 'day use' aos fins de semana

 


Prefeitura afirma que a prática tem colaborado para promover aglomerações na cidade; multas sofreram aumento significativo para tentar conter avanço da doença.

O avanço da COVID-19 tem preocupado a prefeitura de São Tomé das Letras que está tomando medidas mais severas contra a doença. A administração proibiu o turismo ‘day use’ aos fins de semana, pois acredita que a prática tem contribuído para promover aglomerações na cidade. Além disso, as multas sofreram aumento significativo para os que desrespeitaram as regras.

De acordo com a prefeitura, o turismo ‘day use’, ou seja, aquela pessoa que vai à São Tomé das Letras para passear em um dia ou até mesmo assistir ao pôr do sol, tem colaborado com aglomerações que estão fora do controle.

“Todos os turistas serão sempre muito bem-vindos ao nosso município. Mas no momento, entendemos que essa modalidade de visitação deve ser suspensa nos fins de semana, até que os nossos números de contaminação venham regredir”, diz prefeitura.

Portanto, a prefeitura só vai aceitar a entrada de turistas que farão uso dos meios de hospedagem regularizados. O decreto permite a lotação de 25% desses estabelecimentos e o controle máximo das regras de prevenção ao novo coronavírus.

Além disso, a prefeitura aumentou os valores das multas para quem desrespeitar as regras do decreto. A nova lei que estabelece essa penalidade foi sancionada nessa quinta-feira (10/6). A multa para pessoa física passou de R$ 30 para R$ 200. Para quem cometer uma infração média pode pagar R$ 300 e grave R$ 800. Se for pessoa jurídica, a multa varia de R$ 500 a R$ 2 mil.

“Os valores das multas estão bem mais altos e a aplicação das mesmas, menos burocráticas. Fiquem atentos”, ressalta.

O restante do decreto não foi alterado, a cidade segue permitindo o funcionamento do comércio até as 21h e proibindo o consumo de bebida alcoólica pelas ruas do município.

 

COVID-19 na cidade

São Tomé das Letras soma 255 pessoas infectadas pelo novo coronavírus, sendo sete pessoas suspeitas e dois óbitos confirmados. A primeira morte aconteceu em abril, após mais de um ano de pandemia. E a segunda vítima foi confirmada na semana passada.

A cidade chegou a ganhar fama de segura contra o novo coronavírus após ficar quase oito meses fechada para turistas no ano passado. Na época, o município teve apenas casos suspeitos, quando um médico infectado, de outra cidade, fez atendimento no local.  Mas 15 pacientes foram testados e os exames deram negativo.

Em outubro do ano passado, um grupo de empresários obteve liminar na Justiça pedindo a volta de turistas na cidade. O documento foi expedido pela juíza Fernanda Machado de Souza Leite, da 2ª Vara Cível da comarca de Três Corações. A magistrada entendeu que a cidade se enquadra na onda amarela do Programa Minas Consciente, do governo do estado, e, por isso, tem condições de fazer a retomada do turismo.

Moradores protestaram contra a decisão da Justiça, e a prefeitura recorreu. A liminar chegou a ser suspensa pelo presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Gilson Soares Lemes. Mas o pedido de suspensão foi negado pela desembargadora-relatora, Maria Inês Souza, nos autos dos recursos do agravo de instrumento, e, em 15 de outubro, a cidade voltou a receber turistas.

Funcionário público com suspeita de Covid-19 é preso por descumprir isolamento em Cabo Verde, MG



Homem de 46 anos trabalha na prefeitura e deveria ficar isolado até o dia 21 de junho. Ele assinou termo e foi liberado. Decreto da cidade prevê processo administrativo.

A Polícia Militar prendeu um funcionário público que deveria cumprir isolamento social após suspeita de Covid-19, mas descumpriu a notificação da setor de Saúde em Cabo Verde. O homem trabalha na prefeitura e deveria cumprir a determinação até o dia 21 de junho. O caso ocorreu no domingo (6) e ele foi detido nesta terça-feira (8).

De acordo com a Polícia Militar, o funcionário público estava sem máscara na rua quando foi abordado por fiscais da prefeitura e logo em seguida os militares foram acionados. Ele foi levado ao quarte e, conforme a PM, por se tratar de um crime de menor potencial, assinou um termo e foi liberado.

Segundo a polícia, ele foi multado, conforme previsto no decreto da Prefeitura de Cabo Verde. O homem foi detido, conforme explicou a Polícia Militar, por descumprir o decreto municipal e também por conta do artigo 268 do código penal, que fala sobre o descumprimento de ordem do poder público para impedir introdução ou propagação de doença contagiosa.

O decreto da Prefeitura de Cabo Verde prevê que ele deve passar por um processo administrativo. O funcionário público tem até 10 dias para contestar a multa que pode chegar a até R$ 337.

Covid-19 em Cabo Verde

Conforme boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura, Cabo Verde contabiliza 600 contaminações pela Covid-19, sendo 13 mortes em decorrência da doença.

Fonte: G1 Sul de Minas

Governo quer prorrogar auxílio emergencial e turbinar Bolsa Família ainda neste ano

 


Reformulação completa do programa ficaria para 2022, com criação de vale-creche que poderá ser utilizado para pagar cuidador de crianças.

O governo deve prorrogar o auxílio emergencial por mais dois meses, segundo fontes que acompanham as negociações para estender o benefício.

O número de parcelas extras, no entanto, pode chegar a três, dependendo da evolução da pandemia de Covid-19.

A prorrogação do auxílio faz parte do plano do Executivo para evitar que a população mais vulnerável fique descoberta enquanto a reformulação do Bolsa Família não sai do papel.

Parte da prorrogação será bancada com cerca de R$ 7 bilhões que sobraram do limite de R$ 44 bilhões autorizado pelo Congresso para pagar a rodada do benefício neste ano. Esse valor seria suficiente para mais uma parcela.

O restante será financiado com a edição de uma medida provisória (MP) de crédito extraordinário, fora do teto de gastos, de R$ 12 bilhões. Com isso, as duas parcelas extras custarão R$ 19 bilhões.

A nova rodada deve manter os valores de R$ 150 (para pessoas que moram sozinhas), R$ 375 (para mães chefes de família) e R$ 250 (para os demais casos). O número de famílias beneficiadas deve ficar em 39,2 milhões.

Após a prorrogação do auxílio, o governo deve turbinar o Bolsa Família, apenas reajustando o tíquete médio do benefício para R$ 250. Hoje, este valor está na faixa dos R$ 190. Também está prevista a ampliação do número de famílias atendidas, hoje em 14,6 milhões.

Essa ampliação será bancada pela economia de recursos no Orçamento do Bolsa Família para este ano, já que a maioria dos beneficiários migraram para o auxílio emergencial.

Dos R$ 34,8 bilhões reservados para o Bolsa Família neste ano, o governo gastou até agora R$ 10,4 bilhões.

Esse passo ocorreria antes de uma reformulação completa do programa, que começaria a ser discutida neste ano, mas só entraria em vigor em 2022.

 

Vale-creche poderá ser usado com cuidadores

Nesta nova versão do Bolsa Família, que só seria implementado no ano que vem, o repasse em dinheiro deve ser complementado por outros tipos de auxílios, como um voucher para mães que precisarem deixar filhos pequenos para trabalhar tenham acesso a creche.

Em uma versão mais recente da proposta, um vale de R$ 250 poderia ser usado também para pagar cuidadores de crianças, que poderiam ser até parentes dos beneficiários;

Para garantir que o serviço de cuidador seja de fato oferecido, estão previstas visitas em domicílio para avaliar a qualificação da pessoa indicada para fazer o serviço.

 

Agricultura familiar como porta de saída

Em outra frente, o governo pretender fazer uma ligação entre o Bolsa Família e o atual Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A ideia é dar uma ajuda financeira às famílias para que elas possam plantar, colher e vender a produção ao governo federal – fazendo uma ligação com o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Em vez de ficar dependente do Bolsa Família, essas pessoas poderão ter um ganho de R$ 600 por mês, explicou um técnico a par do assunto.

Seria uma porta de saída junto com a recolocação no mercado de trabalho nas áreas urbanas, com uso de ferramenta inteligente, aproveitando o banco de dados criado com o pagamento do auxílio emergencial.

Ainda em relação à transição para a saída de beneficiários, o governo pretende mexer no tempo máximo de permanência no programa. Hoje, famílias chegam a ficar dois anos no cadastro, após perder o direito à ajuda federal.

Também por meio da plataforma, o governo poderia captar vagas no mercado de trabalho, entrar em contato com empregadores “anjos”, dispostos a treinar e empregar pessoas de baixa renda. O plano prevê a criação de um selo para essas empresas, segundo fontes.

O novo programa prevê também pagamento de prêmio em dinheiro para crianças que tiram boas notas nas escolas e se destacam nos esportes. 

Fonte: O GLOBO